segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Observaral

(Arte: desconhecida)

Aqui está um observador, colocando através de sua estrutura física e temporal, sua observação sobre si mesmo e sobre sua outra parte, observada. Através de sua observação, o observador reconhece sua limitação e sua temporalidade diante do espaço tempo. Através de sua observação, o observador conduz a sua estrutura física ao desconhecido buscando respostas sobre si mesmo e sobre suas limitações temporais. Sua mente, não afetada pelo tempo, imutável, permite a observação não linear dele mesmo e de sua tão limitada viagem temporal.

O observador atemporal continua inquietamente a questionar essa misteriosa viagem temporal e reconhece que toda essa estrutura oculta e factual é, intrinsecamente, tudo.