terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Sii Libero


Sobre a reflexão de liberdade: eu vejo a liberdade como um ponto de vista abstrato, pois pra mim, no meu ponto de vista, ser livre é você inicialmente saber entrar em contato consigo mesmo, interiormente, desvendar suas fraquezas, suas melhores maneiras de interação com a vida, saber interpretar e entender suas intenções com suas vontades, com a vida e com as pessoas que estão em sua volta neste momento. Acredito inicialmente na liberdade interior, de você estar consciente de que, na teoria pode fazer absolutamente tudo, porém deve-se responsabilizar pelas ações refletidas na vida externa.

No meu ponto de vista, na vida existente, não existe liberdade material, não existe como não depender de outras fontes de energia para sobreviver, embora você possa se tornar independente em muitas aspectos: a vida é uma ditadura, e ela é extremamente bela exatamente por esse sentido. Por termos a oportunidade de nos tornarmos mais independentes, mesmo que ainda sejamos dependente da natureza. A vida é regida com maestria por todas as circunstâncias, pelas coisas ruins e pelas coisas boas. Cabe a cada um de nós interpretarmos ela como bem sabemos e como bem aprendemos até então. Porém não sejamos egoístas ao acharmos que nossas atitudes, nossas expressões não causam nenhuma influência sobre os outros. Estejamos conscientes disso, mas também não nos prendamos, tão pouco nos limitemos sobre a perspectiva externa. Você é composto de tudo que aconteceu em sua direção, de tudo que te influenciou, de tudo que você deu atenção, e também do que você negou e nega até hoje. Aliás, negarmos nossas vontades, nossos desejos, os sinais que o nosso corpo e a nossa mente nos transmitem é, ao meu ver, uma grande covardia.

Sejamos insanamente nós mesmos, mesmo que aos olhos externos não haja compreensão. Ser, no presente e no agora. Ser livre, no modo e na maneira de cada um.

Estejamos livres pra pensar. Estejamos livres para nos expressar. Estejamos livres para choramos, explodirmos, fracassarmos, errarmos. Estejamos livres para aprendermos e dançarmos sobre o palco da vida.